Regulamento de competição de pesca de lancamento de costa 2017

FEDERAÇÃO ANGOLANA DE PESCA DESPORTIVA

FA.P.D.

REGULAMENTO 2017

COMPETIÇÃO DE PESCA DE LANÇAMENTO DE COSTA

1- Aplicação do Regulamento

Este regulamento aplica-se a todos os torneios de pesca de lançamento de costa, integrados no calendário de Provas sob a égide da FAPD, existindo, no entanto, regulamentos específicos para alguns torneios.

2- Equipas de pesca

2.1- Nome e constituição

As Equipas de pesca serão constituídas por um mínimo de dois (2) e um máximo de três (3) Pescadores, sem distinção do género, dos quais um terá que ser nomeado Capitão de Equipa. Poderão ser inscritos pescadores menores de idade desde que acompanhados ou autorizados pelos pais.

Cada Equipa será identificada pelo nome que escolher e será este nome a constar na folha de inscrição. A organização reserva-se ao direito de não aceitar algum nome de Equipa que, no seu entender, seja pouco qualificado para o efeito ou que já tenha registo anterior.

2.2- Substituição de Pescador

É permitido às Equipas substituírem pescadores efetivos desde que seja antes do início do Torneio e previamente comunicado ao Júri.

2.3- Pessoal auxiliar e convidados

As equipas participantes poderão levar para a competição pessoal auxiliar para o apoio logístico necessário e outros convidados, ficando, a estes, interdito, qualquer tipo de participação nas ações diretas da pesca e captura do peixe. Com exceção do ato de embicheirar, que é permitido a pessoas estranhas à equipa.

3- Inscrições

As inscrições das Equipas para cada torneio serão efetuadas na secretaria do Clube organizador, na reunião técnica ou na mesa da Organização / Júri até à hora de início dos Torneios.

O sorteio dos pesqueiros é efetuado na reunião técnica contra apresentação do recibo de inscrição ou no ato de inscrição quando aplicável.

É expressamente proibida a mudança de pesqueiro. As equipas apenas podem pescar dentro do pesqueiro sorteado.

4- Locais de Pesca

Os pesqueiros serão marcados e identificados com estacas numeradas, pela organização, pelo menos 24h antes do início do Torneio, e em função dos condicionalismos do terreno. No entanto poderemos considerar 50 metros como medida standard, acrescidos nas duas laterais de zonas neutras com 10 metros que poderão ser utilizadas nas seguintes situações:

- Durante o combate, com peixe, quando o mesmo “puxa” para uma das laterais, podendo inclusive invadir o terreno de equipas vizinhas.

- No ato de lançar canas, desde que não entre em área da Equipa vizinha, regressando direto ao seu pesqueiro após o lançamento.

- Em nenhuma situação esta área poderá ser usada para ferrar peixe ou deixar canas no descanso.

NOTA: No Torneio do Namibe as medidas dos pesqueiros serão de 100 metros, sem zona neutra.

# Único: Fica sempre reservado para a mesa de Júri / Organização o pesqueiro em frente ao seu acampamento para laser dos seus membros.

5- Equipamentos e acessórios

5.1- Canas

A cana deve estar de acordo com a ética e costumes desportivos, o Pescador deve escolher a cana que deseja usar. Apenas é permitida, a cada Equipa, a utilização simultânea de, no máximo, três (3) canas com linhas na água, dentro dos limites estabelecidos do seu pesqueiro, podendo, no entanto, ter em reserva uma ou mais canas preparadas que só poderão utilizar em substituição e após retirar uma, ou mais, canas da água. (Nunca mais de 3 linhas na água ao mesmo tempo).

5.2- Tensos

De resistência, formato e tamanho opcional, desde que não ultrapasse o comprimento de 9,14 m, medidos desde o término do anzol e o final do nó de ligação à linha de pesca. É permitida a utilização de mais do que um anzol desde que a montagem se enquadre nas regras estabelecidas pela IGFA (International Game Fish Association) como se descreve:

MONTAGEM PARA ISCO NATURAL

  1. Para pescar com isco natural, seja vivo ou morto, proíbe-se a utilização de mais de dois (2) anzóis simples. No caso de haver dois (2) anzóis, ambos devem estar firmemente embebidos ou sujeitados ao mesmo isco. Os olhais dos anzóis devem estar separados por uma distância não inferior ao comprimento do anzol mais comprido que se use; não obstante, não devem separar-se mais de 45,72 cm (18 polegadas), exceto no caso em que a ponta de um dos anzóis possa ser passada pelo olhal do outro. O anzol não deve estar diante da carnada, amostra ou uma combinação de carnada / amostra, mais do que o comprimento de um anzol.
  1. Proíbe-se o uso de anzóis livres ou soldados. Igualmente estão proibidos os anzóis duplos e / ou triplos.
  1. Toda a solicitação de recorde do mundo, com aparelhos de dois anzóis, deve acompanhar de fotografia ou desenho da sua colocação e montagem.

5.3- Linha

São aceites linhas de seda, multifilamento ou monofilamento desde que a resistência não ultrapasse as 130 lbs.

5.4- Iscas

É permitida a utilização de iscas naturais, vivas ou mortas, e artificiais.

5.5- Chumbada

É permitido qualquer formato ou peso, com ou sem aranha retrátil.

5.6- Bicheiros

É permitida a utilização de bicheiros, apenas de gancho simples, para retirar o peixe da água, no entanto o seu comprimento não deve ultrapassar os 2,44 m. Não é permitida, em qualquer momento, a utilização de ganchos múltiplos, arpões nem de lanças.

6- Regras de Pesca

6.1- Lançamento (Arremesso)

A isca deverá ser colocada no mar fazendo recurso, apenas, ao lançamento com cana a partir da faixa de areia ou dentro de água. Não é permitida a condução da isca através de prancha, jet ski, papagaio, kayak, drone, barco telecomandado, natação ou artifícios e meios similares.

Não é permitido o uso de lançadores mecânicos de linhas de pesca (Fishing jet ou “bazucas”)

6.2- Ferrar e combater peixe

O peixe considera-se regularmente capturado, após lhe ter sido cravado o bicheiro, não podendo a partir deste momento sofrer qualquer penalização, no entanto, a pontuação só será atribuída após a identificação da espécie e pesagem pela mesa de Júri.

Durante o combate, se ocorrer derivação para além da fronteira com o pesqueiro vizinho, deverá essa Equipa ser alertada de imediato, estando a partir desse momento obrigada a movimentar canas de forma a facilitar ao máximo o combate dentro das regras de bom desportivismo.

7- Ajudas

Está autorizada a ajuda de terceiros nas seguintes situações:

- Para retirar lixo que esteja preso na linha, no entanto, se tiver peixe ferrado, em caso algum a linha poderá ser tocada.  

- Para desembaraçar linhas, no entanto a linha que tiver peixe ferrado em caso algum poderá ser tocada (aconselhamos vivamente que seja cortada a linha que não tiver peixe).

- Ajudas de iluminação durante o lançamento, o combate e a captura no período noturno.

- No ato de embicheirar o peixe.

#Único: É completamente vedada a ajuda ou participação de terceiros (entenda-se como terceiros todos os elementos que não constam no caderno ou folha de inscrição da Equipa) no ato de recolher, iscar, lançar canas ou combater.

8- Atos que desqualificam uma captura

- O incumprimento das regras no que respeita a equipamentos e acessórios ou aparelhos.

- Se outra pessoa que não o pescador tocar qualquer parte da cana, carreto ou linha seja diretamente ou com um dispositivo enquanto o pescador está a trabalhar/combater o peixe ou que ao mesmo seja prestada qualquer ajuda na ação do combate.

- Descansar a cana no descanso/porta-canas ou no chão, durante o combate. É permitido ao pescador o uso de pombinha.                 

- Juntar, tirar ou unir linha enquanto trabalha/combate o peixe.

- Se o bicheiro for cravado depois do peixe escapar do anzol.

- Um peixe que se crave ou enrole em mais de uma linha. (Para estes casos aconselhamos uma análise cuidada do Júri)

9- Pesagem, registo e pontuação

Concluída a captura do peixe, este deverá ser, de imediato, levado à mesa de Júri que procederá à pesagem, na presença de um elemento da Equipa, atribuirá a respetiva pontuação e efetuará o registo. O Júri usará no peixe um sinal indicativo de que foi presente à pesagem, podendo inclusive cortar uma ou mais barabatanas, de qualquer parte do peixe.

Após a hora do término do Torneio os Capitães das Equipas, ou outro membro devidamente mandatado, com peixe pontuado durante o período de competição, deverão dirigir-se à mesa de Júri para assinar a sua folha de registo de pescado e pontuação.

10- Hora de início e limite de pesca

10.1- Início da pesca

O Torneio terá início na hora definida pela Organização, no programa ou durante a reunião técnica e após sinal sonoro do Júri, quando as condições o permitam. Todas as canas deverão estar nos descansos e as linhas recolhidas da água. Só é permitido o lançamento da isca após a hora indicada para início do Torneio.

10.2- Hora de final da pesca

A hora limite de pesca é estabelecida no programa da organização ou durante a reunião técnica. Na hora estabelecida, os Pescadores das Equipas deverão retirar as três (3) canas da água.

Todos os peixes ferrados, ou na linha, no período de quinze (15) minutos, que antecede o final da pesca ou término do Torneio, deverão ser comunicados às Equipas vizinhas e se possível ao Júri, pessoalmente ou telefonicamente, indicando, em qualquer dos casos, o nome da Equipa em combate. Peixes ferrados, mesmo que imediatamente após a hora limite de pesca durante a recolha das canas não pontuarão. Peixe presente ao Júri após a hora limite de pesca só pontuará se o combate for do seu conhecimento, ou com o testemunho dos Capitães e Pescadores das Equipas vizinhas.

11- Pontuações e Espécies

Durante o Torneio as Equipas são livres de pescarem os peixes que quiserem, independentemente da quantidade, dos seus pesos e espécies, com exceção do Torneio do Namibe que limita o número de capturas de algumas espécies, conforme o regulamento específico. O quadro que se segue estabelece as espécies aceites e os critérios de pontuação em função do seu peso.

Tabela de pontuação para os Torneios

NAMIBE, SÃO BRÁS e CHICUCULA

(Prata, Pungo e Pargo mais valiosos)

N/O

ESPÉCIE

PONTUAÇÃO

PESO MÍNIMO

PARA PONTUAR

 

1

PRATA

10 PONTOS/KG

-

2

PUNGO/PARGO

7 PONTOS /KG

-

3

VIOLA

5 PONTOS /KG

10 KG

4

TUBARÃO

5 PONTOS /KG

20 KG

5

RATÃO

5 PONTOS/KG

10 KG

6

CORVINA/MACÔA/BARBUDO/PAMPUNÊ

4 PONTOS /KG

-

7

GALO

4 PONTOS /KG

1KG

8

OUTRAS ESPÉCIES DE PEIXES COM ESCAMA (a)

3 PONTOS/KG

1 KG

9

OUTRAS ESPÉCIES DE PEIXES SEM ESCAMA (b)

2 PONTOS/KG

8KG

(a)

MÁXIMO DE 5 UNIDADES DE OUTRAS ESPÉCIES DE PEIXES COM ESCAMA

Válido apenas para o Namibe

 

(b)

MÁXIMO DE 5 UNIDADES DE OUTRAS ESPÉCIES DE PEIXES SEM ESCAMA

Válido apenas para o Namibe

 

Tabela de pontuação para o Torneio

RIO SECO

(Prata e Viola mais valiosos)

N/O

ESPÉCIE

PONTUAÇÃO

PESO MÍNIMO

PARA PONTUAR

 

1

PRATA

10 PONTOS/KG

-

2

VIOLA

7 PONTOS /KG

10 KG

3

PUNGO/PARGO

5 PONTOS /KG

-

4

TUBARÃO

5 PONTOS /KG

20 KG

5

RATÃO

5 PONTOS/KG

10 KG

6

CORVINA/MACÔA/BARBUDO/PAMPUNÊ

4 PONTOS /KG

-

7

GALO

4 PONTOS /KG

1 KG

8

OUTRAS ESPÉCIES DE PEIXES COM ESCAMA (a)

3 PONTOS/KG

1 KG

9

OUTRAS ESPÉCIES DE PEIXES SEM ESCAMA (b)

2 PONTOS/KG

8 KG

(a)

MÁXIMO DE 5 UNIDADES DE OUTRAS ESPÉCIES DE PEIXES COM ESCAMA

 

 

(b)

MÁXIMO DE 5 UNIDADES DE OUTRAS ESPÉCIES DE PEIXES SEM ESCAMA

 

 

 

12- Classificação e fatores de desempate

A classificação será encontrada através do maior número de pontos conquistados.

Caso se verifique um empate entre duas ou mais Equipas serão aplicados os seguintes fatores:

1º- O maior exemplar absoluto de qualquer espécie (com escama ou sem escama)

2º- Maior número de capturas de qualquer espécie (com escama ou sem escama)

3º- Hora da primeira captura de qualquer espécie (com escama ou sem escama)

13- Prémios

Serão atribuídos prémios a todos os Pescadores das Equipas que se classifiquem do 1º ao 3º lugar.

Os restantes prémios serão definidos pelas entidades organizadoras, podendo visar as capturas registadas, a sua outorga pelo desempenho individual e de Equipa e sempre que possível exaltar, in memorium, homenagem a distintas figuras da Pesca Desportiva Nacional.

A data, hora e local de entrega de troféus, será anunciada durante a reunião técnica dos respetivos Torneios, no entanto as organizações, de todos os torneios, deverão fazer os possíveis para entregar os prémios sempre no local do Torneio, após o seu término.

14- Protestos

Qualquer Equipa poderá protestar contra uma ou mais Equipas em prova. Os protestos serão apresentados por escrito, juntamente com uma caução monetária de igual valor à da inscrição da Equipa, na mesa de Júri, durante o Torneio ou até 30 minutos após a publicitação dos resultados. A caução só será devolvida se o protesto for julgado procedente.

15- Júri

O Júri será constituído por efetivos do quadro da FAPD ou convidados pela organização para o efeito. Os convidados para serem Jurados deverão ter experiência comprovada na pesca desportiva.

Quando solicitado, todos os concorrentes serão obrigados a mostrar a sua aparelhagem ao Júri para inspeção.

Conforme a boa prática da Pesca Desportiva o primeiro Júri deverá ser o próprio pescador, pois só ele poderá reconhecer a dificuldade e a legalidade da sua captura, no entanto atendendo à proximidade visual dos locais de pesca todo o concorrente deve considerar-se fiscalizado pelos outros pescadores (convidados e auxiliares não são considerados para este efeito). Fotos ou filmagens sobre a irregularidade poderão auxiliar o Júri a tomar uma decisão.

Convidam-se todos os pescadores a auxiliar o júri para fazer cumprir o regulamento da competição.

16- Dúvidas e Omissões

Qualquer dúvida, omissão ou diferença de interpretação ao presente regulamento, será decidida pelo Júri, estando este dotado das competências necessárias para a solução que entender como sendo a mais conveniente.

17- Responsabilidades

Os Clubes organizadores, os membros da organização e os patrocinadores destes Torneios, não assumem qualquer responsabilidade por quaisquer acidentes, perdas ou danos que possam ocorrer durante a realização destes Torneios.

Será da inteira responsabilidade de cada Equipa a participação nos mesmos. Deste modo, os membros de cada Equipa serão responsáveis por dar a conhecer aos seus convidados, acompanhantes ou ajudantes, quer estejam em terra ou no mar e assumem pelo ato de inscrição de cada Torneio, a obrigação e a responsabilidade de o fazer. Comprometendo-se em salvaguardar a Organização, o Clube Organizador e seus Patrocinadores, representantes, agentes ou empregados, por qualquer reclamação a respeito de perdas e danos, morais ou materiais, incluindo a perda de vidas ou de bens ocorridos no mar ou em terra, dentro ou fora das instalações do Clube organizador e dos seus Patrocinadores.

A organização adverte para os riscos que este tipo de pesca pode representar nos locais de mar aberto indicados para a realização dos Torneios e aconselha enorme prudência na altura do lançamento das canas.

NOTA: Recomenda-se que todas as equipas tenham um estojo de primeiros socorros e um colete salva-vidas com cabo.

18- Deveres das Organizações dos Torneios e da FAPD

18.1- FAPD – Comunicação aos Ministérios das Pescas e da Juventude e Desportos

A FAPD irá comunicar ao Ministério das Pescas e ao Ministério da Juventude e Desportos o calendário de todos os Torneios do Campeonato Nacional.

18.2- Organizações dos Torneios – Comunicação às autoridades locais e Polícia

É da obrigação das Organizações de cada um dos Torneios contactar e informar as autoridades locais, tais como o Soba da área, a Polícia do Município, os Bombeiros e a Administração local, para que tudo decorra sem incidentes.

Luanda, 8 de Fevereiro de 2017

FEDERAÇÃO ANGOLANA DE PESCA DESPORTIVA

CAMPEONATO NACIONAL DE PESCA DE COSTA

INTRODUÇÃO

A Federação Angolana de Pesca Desportiva, FAPD, instituiu este Campeonato Nacional de Pesca de Costa, destinado a premiar as três (3) Equipas mais pontuadas nos cinco (5) Torneios que o constituem, assim como os maiores exemplares.

Os Torneios terão um regulamento geral único, com exceção dos Torneios “Lança na Espuma” e do Namibe que terão regulamentos específicos, no entanto existirão diferentes critérios de pontuação em alguns torneios.

REGULAMENTO

Para as Equipas e todos os seus membros serem considerados para efeitos de classificação e se habilitarem a quaisquer dos prémios a seguir referidos, deverão estar devidamente inscritos na FAPD e terem as suas quotas em dia. O atraso no pagamento das quotas de qualquer pescador, a verificar pela FAPD após o final do Campeonato, assim como qualquer outra irregularidade de inscrição, implicará, sem prejuízo de outras sanções previstas nos regulamentos da FAPD, a desqualificação da respetiva Equipa, para efeitos do Campeonato Nacional e restantes títulos e prémios abaixo referidos.

A classificação final do Campeonato será dada pelo somatório das pontuações atribuídas pela tabela abaixo, obtidas efetivamente (quer isto dizer que não beneficiará dos pontos de lugares de outras Equipas que não estejam federadas) pelas Equipas nos cinco (5) Torneios que o constituem.

As Equipas que pretendam disputar o Campeonato deverão fazer o registo na FAPD, estando obrigados os pescadores individuais que as constituem a estarem devidamente federados e com as quotas em dia.

A inscrição de uma Equipa no Campeonato Nacional terá um custo igual ao valor da inscrição num Torneio.

TABELA DE PONTUAÇÃO – CAMPEONATO NACIONAL

LUGAR

PONTUAÇÃO

LUGAR

PONTUAÇÃO

20 Pts

6 Pts

15 Pts

5 Pts

12 Pts

10º

4 Pts

10 Pts

11º

3 Pts

9 Pts

12º

2 Pts

8 Pts

13º

1 Pts

7 Pts

14º

0 Pts

Em caso de empate vence a Equipa que tiver capturado:

1º- O maior exemplar absoluto de qualquer espécie (com escama ou sem escama)

2º- O maior número de capturas de qualquer espécie (com escama ou sem escama)

3º- Hora da primeira captura de qualquer espécie (com escama ou sem escama)

Os resultados provisórios serão afixados na sede da FAPD três dias após o último dia de pesca do Torneio Final do Campeonato, pelas 18:00 na presença dos elementos do Júri. Qualquer protesto deverá dar entrada na secretaria da FAPD, no máximo até 30 minutos após a fixação. Depois da avaliação e decisão pelo Órgão respetivo da FAPD do eventual protesto, os resultados serão afixados e considerados definitivos ou finais.

A decisão final é irrevogável.

As Equipas poderão utilizar durante o campeonato pescadores suplentes, em determinado dia de pesca, que não estejam inscritos na FAPD, no entanto para que as suas pontuações sejam validadas para o Campeonato e outros prémios instituídos pela FAPD, o mesmo terá de pagar uma taxa para o efeito de acordo com a tabela em vigor na FAPD.

Luanda, 8 de Fevereiro de 2017

O saneamento e a proteção do meio ambiente radica nas ações individuais de cidadania e civismo. POR UMA PESCA DESPORTIVA RESPONSÁVEL